3 de mai de 2010

Seja você, mesmo que seja estranho.


Uma vez alguém me disse que não sou normal. Ficaria triste se me dissessem que eu era igual a todo mundo. E no mundo em que vivemos, ser comparado à maioria das pessoas definitivamente não é bom. Não mesmo. Mas ser diferente nem sempre pode ser uma vantagem. É tudo uma questão de escolha entre ser o que você é (que é muito diferente do que ser o que você quer) ou ser igual a todo mundo, ou seja, aderir facilmente à opinião dos outros e consequentemente ser adorado pelos “amigos”.

Desde pequenos, nós aprendemos que devemos buscar a aprovação das pessoas em tudo que fazemos. E crescemos participando desse jogo de querer se enquadrar. Esse joguinho é muito destrutivo, porque se você sai disso, é recriminado pelos outros. Quando fazemos o que os outros fazem ficamos amigos de uma maioria, quando não, essa maioria tende a nos tratar como mercadoria danificada. Nos marginalizam.

Enquanto precisarmos que os outros nos entendam e nos aprovem, estamos participando do jogo. E faremos o mesmo com os outros.

Mas se nos preocuparmos somente com quem merece, com quem amamos e principalmente com o que Deus acha de nós, estaremos livres. Se estivermos de bem com Ele, estaremos de bem com nós mesmos.

Se você acredita em Jesus Cristo, saiba que Ele não dava a mínima para o que pensavam dele. As pessoas não o entendiam e o acusavam terrivelmente, mas ele somente viveu a sua vida e jamais saiu em sua própria defesa, ele nunca se desviou do que era pra ser feito. Isso é fato histórico. Não é mesmo um exemplo para nós?

Então, liberte-se de toda essa hipocrisia. É difícil... Mas se tivermos fé, faremos jus a nossa existência e lutaremos por um mundo melhor, ainda que pareça loucura aos olhos de quem perece.

Anny Caroline

0 comentários:

Postar um comentário